Campeão pela Seleção, Copa Verde seria coroação, diz Emerson Ávila

0
91

O título da Copa Verde pode representar uma nova fase para o técnico Emerson Ávila. No comando do Goiás desde abril, o treinador assumiu o cargo de forma interina e tem conseguido bons resultados. Nesta quarta-feira, às 20 horas, no Estádio da Serrinha, em Goiânia, o treinador esmeraldino espera coroar esse momento com a conquista em cima do Paysandu.

“Todo título é importante na vida de um treinador, ainda mais um título nacional como a Copa Verde. Eu tive muitas conquistas ao longo da minha carreira e sempre valorizei todas. A Copa Verde é muito importante para mim e para o clube. É a coroação de tudo que os atletas fizeram nesta competição”, declarou o treinador.

Emerson Ávila, técnico do Goiás, comanda treino no CT Edmo Pinheiro, em Goiânia

Emerson Ávila, técnico do Goiás, comanda treino no CT Edmo Pinheiro, em Goiânia
Créditos: Rosiron Rodrigues/Goiás EC

Emerson Ávila comandou o Goiás em 12 jogos. São cinco vitórias, dois empates e cinco derrotas. Ele recebeu o cargo de Guto Ferreira, treinador que deixou a equipe em abril após o Campeonato Goiano e foi responsável pela classificação para a final da Copa Verde.

“Desde que assumi o comando do Goiás, foram dias difíceis, dias de muito trabalho e de muita dedicação. Obviamente um título coroa sempre o que é feito. Não é só o trabalho da comissão técnica, da direção e dos atletas, é também um modelo de jogo que a gente estabeleceu com os atletas e eles compraram essa ideia”, analisou.

“A equipe também tem uma herança do trabalho que pegamos do Guto. Ele é um excelente treinador, uma pessoa que conseguiu colocar suas ideias dentro do Goiás. A gente absorveu muita coisa do que ele fez. É um trabalho coletivo, com a participação dos atletas e que esperamos poder coroar com esse título na quarta-feira”, complementou.

SELEÇÃO BRASILEIRA

Ser campeão não é uma novidade para Emerson Ávila. Em 2011, ele comandou a Seleção Brasileira e foi campeão do Sul-Americano Sub-17 e quarto colocado no Mundial da categoria. Mais de dez anos após o feito, o treinador relembrou a conquista e a importância da amarelinha em sua carreira.

Emerson Ávila foi campeão Sul-Americano Sub-17 pela Seleção Brasileira em 2011

Emerson Ávila foi campeão Sul-Americano Sub-17 pela Seleção Brasileira em 2011
Créditos: CBF

“A passagem pela Seleção foi um marco muito importante na minha carreira. Eu já havia feito algumas coisas com uma certa relevância no futebol, mas você vestir a camisa da Seleção, ouvir o hino nacional e representar o seu país é até difícil de explicar. Eu tenho muito orgulho de ser campeão do Sul-Americano Sub-17. Infelizmente não tivemos a chance de ser campeão mundial, mas eu guardo, sim, com lembrança muito grande todo esse período que passei pela Seleção”, contou.

Emerson Ávila foi campeão Sul-Americano Sub-17 pela Seleção Brasileira em 2011

Emerson Ávila foi campeão Sul-Americano Sub-17 pela Seleção Brasileira em 2011
Créditos: Rafael Ribeiro/CBF

A lista de atletas de destaque com quem Emerson Ávila trabalhou na Seleção é vasta. O de maior renome é Marquinhos, zagueiro que defendeu a amarelinha nas últimas duas Copas do Mundo e encantou o treinador desde o primeiro dia.

“Eu me lembro como se fosse hoje a primeira vez que vi o Marquinhos jogar. Foi por uma competição em Belo Horizonte, minha cidade natal. O Marquinhos estava no Corinthians e eles enfrentaram uma equipe da Inglaterra. O time do Corinthians não se destacou na competição, mas eu vi um jovem líder, um jovem de personalidade, um jovem tecnicamente com qualidades marcantes que eu sabia que poderia ser meu zagueiro no Sul-Americano Sub-17 e, principalmente, o capitão de uma equipe que poderia ajudar o país a uma conquista tão importante”, relembrou o treinador, que ainda trabalhou com Emerson Palmieri, Fred, Felipe Anderson, Rafinha Alcântara.

Brasil x Coreia pelas oitavas de final da Copa do Mundo do Catar. Marquinhos

Brasil x Coreia pelas oitavas de final da Copa do Mundo do Catar. Marquinhos
Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Fonte: CBF
Crédito de imagem: Créditos: Rosiron Rodrigues/Goiás EC