Por risco de desabamento, Escola suspende aulas em Juína e interdita prédio

0
116

A direção da Escola Pestalozzi de Juína/MT suspendeu oficialmente, e por tempo indeterminado, a partir desta segunda-feira (29/05), as aulas para os mais de 180 alunos com necessidade especiais e interditou, após avaliação de um engenheiro civil, a unidade, devido a risco de desabamento.

Segundo apurado pelo Repórter em Ação na última quinta-feira (25/05) um forte vendaval, em formato de redemoinho, atingiu o prédio, expondo e agravando a frágil estrutura do telhado.

“Comprometeu a parte de cima da cobertura, mexeu com algumas vigas aqui e de imediato já suspendemos a vinda dos alunos, por segurança, e nós convidamos um engenheiro civil para avaliar a estrutura e ele interditou parte aqui da escola para haver uma vistoria mais avançada, é o que vai acontecer”, destacou Dilvo Pagnussat, vice-presidente da Associação Pestalozzi.

A Escola Pestalozzi de Juína foi construída no ano de 1989, na gestão do Liceu Alberto Veronese, maior parte da estrutura é de madeira, frequentemente acometida por cupins.

“Essas 10 salas de madeira foram construídas há muitos anos e já estão bem deterioradas e quem passa na rua pode olhar o telhado, todo torto, nós fizemos remendo de todo jeito para poder continuar o atendimento a essas crianças. E isso que aconteceu recentemente é uma coisa que nos preocupa muito, porque a gente está colocando em risco tanto a vida das crianças, como também a dos nossos profissionais. Então é muito difícil a gente continuar com esse trabalho”, pontuou a presidenta da Pestalozzi, Ivani Cardoso.

Segundo a coordenação da Escola, os engenheiros chamados para avaliar a estrutura fizeram ajustes para reduzir o risco de desabamento. O Corpo de Bombeiros também já foi acionado para avaliar o local e orientar a direção à como proceder.

“Nós precisamos de todo o apoio do poder público municipal, da secretaria de educação, do prefeito, da promotoria, enfim, da sociedade de uma forma geral. Aos pais, pedimos que tenham compreensão nesse momento, para que nos apoie nesse movimento para que a gente possa ter um prédio novo, descente, e com segurança, para atender os nossos alunos”, clamou Ivani Cardoso.

Fonte: reporter em Ação