Com torcidas empolgadas, Copa Verde se consolida no calendário do futebol nacional

0
110

Cada vez mais atraente, a Copa Verde encerrou a décima edição com chave de ouro. O título inédito do Goiás, na quarta-feira (31), com uma linda festa no Estádio Hailé Pinheiro, em Goiânia, na vitória por 2 a 1 sobre o Paysandu, pôde ser visto em todo território nacional, a partir da transmissão da TV Brasil e da BandSports.

Foi a primeira vez que isso ocorreu – TV aberta e TV fechada exibindo a final da Copa Verde, em mais uma comprovação de que o torneio já ultrapassou as fronteiras dos Estados com clubes na disputa.

Time campeão atuou com força máxima em todos os jogos

Time campeão atuou com força máxima em todos os jogos
Créditos: Wildes Barbosa / CBF

“A Copa Verde mostrou a força do futebol em todo o país, com estádios cheios nas finais e muita disputa em campo. Neste ano, tivemos transmissão das finais nas TVs abertas e fechada, fizemos um aporte financeiro recorde de R$ 6 milhões, além de pagar premiação recorde aos finalistas.  A CBF acredita que a competição também cumpre um papel fundamental de fomentar o futebol nos estados envolvidos. Por tudo isso, vamos  investir cada vez mais nas próximas edições da Copa Verde”, disse o presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues.

A Copa Verde contou neste ano com 23 times que representam todas as divisões nacionais. Houve ainda cinco participantes que não figuram sequer na Série D do Brasileiro.

Menino festeja título do Goiás no gramado do Estádio Hailé Pinheiro

Menino festeja título do Goiás no gramado do Estádio Hailé Pinheiro
Créditos: Divulgação / CBF

Com duas vitórias sobre o Paysandu, a primeira em Belém, o Goiás se sagrou campeão em seu estádio, a Serrinha, com o apoio incondicional do torcedor esmeraldino – mais de 11 mil pessoas estiveram no local para incentivar o time. Foi um confronto de uma equipe da Série A com outra na Série C.

“A Copa Verde é uma realidade. Tende a crescer, pois seu potencial é muito grande, com a integração de clubes que vivem situações opostas. É uma oportunidade de visibilidade para os que dispõem de menos recursos”, disse Alex Dias, ex-atacante do Goiás. Ele entrou em campo, na quarta-feira, com a taça nas mãos em companhia de Vandick, ídolo do Paysandu, pouco antes do início da decisão.

Alex Dias (d) entrou em campo na decisão carregando a taça com Vandick, ídolo do Paysandu

Alex Dias (d) entrou em campo na decisão carregando a taça com Vandick, ídolo do Paysandu
Créditos: Wildes Barbosa/CBF

Naquele instante, as luzes do estádio estavam apagadas e os celulares dos torcedores iluminavam parcialmente a Arena do Goiás. Era só o começo da festa que se estenderia após o término do jogo por mais de uma hora.

Além do Goiás, outra equipe, dos que integram a elite do Brasileirão, esteve na Copa Verde de 2023: foi o Cuiabá, eliminado pelo próprio Goiás na fase semifinal.

Da Série B, o Vila Nova-GO se fez presente neste semestre no torneio que tem um simbolismo muito grande, por estar relacionado à Floresta Amazônica. Da Série C, além do Paysandu, a 10ª Copa Verde abrigou Remo e Manaus.

Torcida do Paysandu também marcou presença ao longo da Copa Verde

Torcida do Paysandu também marcou presença ao longo da Copa Verde
Créditos: John Wesley / Paysandu

A lista dos que fazem parte da Série D é bem maior e incluiu dessa vez Humaitá-AC, São Francisco-AC, Trem-AP, Princesa do Solimões-AM, Brasiliense-DF, Ceilância-DF, Real Noroeste-ES, União Rondonópolis-MT, Operário-MS, Real Ariquemes-RO, São Raimundo-RR, Tocantinópolis-TO e Interporto-TO.

Já o quinteto fora das quatro divisões foi formado por Atlético-AC, Rio Branco-AC, Luverdense-MT, Rio Branco-ES e Castanhal-PA.

Fonte: CBF
Crédito de imagem: Créditos: Wildes Barbosa / CBF