Criminoso responsável pela guarda de 175 quilos de cloridrato apreendidos é preso na zona rural de Tapurah

0
194
PONTA GROSSA - PRISAO EVOLUCAO - 23/03/2012 - PARANA A comissao de direitos da OAB Parana visitou durante a manha e inicio da tarde o presidio Hildebrando de Souza em Ponta Grossa. Durante a visita foram verificadas as instalacoes e as condicoes em que os presos estao encarcerados. Na foto, presos enfrentam superlotacao. Alem disso, faltam medicos para atende-los Somente este ano foram registrados sete casos de tuberculose.

Um dos envolvidos no tráfico de 175 quilos de cloridrato de cocaína, apreendidos pelas Polícias Civil e Militar, no mês de dezembro passado, foi preso nesta terça-feira (06.06), na zona rural de Tapurah, pela equipe da delegacia do município.

A investigação da Delegacia da Polícia Civil de Tapurah apurou que o rapaz de 24 anos foi a pessoa responsável em dar apoio ao grupo na guarda do entorpecente. Além de esconder os pacotes de cloridrato de cocaína, ele também ajudou os criminosos no envio da droga, que foi interceptada no município de Jangada.

Ele foi localizado em um sítio, cujo funcionário do local deu guarida para que ele pudesse ficar no local, onde caçava e pescava. Para chegar ao sítio, a equipe policial precisou percorrer um trecho de barco pelo Rio Borges.

Na casa, os policiais civis apreenderam três armas de fogo sem registro e, diante do material encontrado, ele foi preso em flagrante por porte ilegal de arma de fogo.

Carga de cloridrato

A carga de 175 quilos de cloridrato foi apreendida no dia seis de dezembro do ano passado, em ação em uma ação conjunta da Polícia Civil e Polícia Militar.

Durante a investigação sobre a origem e os responsáveis pelo entorpecente, a Delegacia de Tapurah chegou a uma empresária do município que foi presa por envolvimento no planejamento, organização e apoio no transporte da droga.

O delegado Guilherme Pompeo explicou que a empresária foi responsável pela logística e alugou uma caminhonete para transporte o cloridrato. Além disso, ele cedeu um funcionário para conduzir o veículo que buscou o entorpecente com outro integrante da organização criminosa.

Durante o percurso, os responsáveis por buscar a droga tiveram um problema mecânico com a caminhonete, quando a empresária foi ao encontro deles na rodovia e emprestou o carro dela, um Hyundai I30, para que eles seguissem viagem.

Quando a empresária foi abordada pela Polícia Civil em uma caminhonete Amarok, o restante do grupo criminoso já havia baldeado a droga para o outro veículo. Com as informações coletadas sobre o veículo usado, os policiais civis de Tapurah repassou os dados do veículo à PM, que interceptou o Hyundai com a droga na BR-163, na altura do município de Jangada.

Como a empresária não foi encontrado nenhum material ilícito no momento da abordagem. Contudo, com base nos elementos apurados durante as investigações, ela teve a prisão preventiva deferida pela Justiça e cumprida no dia 22 de dezembro.

“Nas investigações, ficou claro que a empresária foi a responsável por planejar todo esquema de logística da droga, se associando à organização criminosa e fazendo o remetimento da grande quantidade de drogas”, explicou o delegado.

Fonte: Assessoria