Represa da Ucrânia que fornece água para usina nuclear se rompe

0
201

Uma torrente de água atravessou um buraco em uma represa no rio Dnipro, que separa forças russas e ucranianas, no Sul da Ucrânia nesta terça-feira (6), inundando uma faixa da zona de guerra e forçando moradores a fugir.

A Ucrânia acusou a Rússia de explodir a barragem por dentro em um crime de guerra deliberado. Autoridades russas deram relatos conflitantes, alguns alegando um bombardeio ucraniano, outros dizendo que a barragem se rompeu por conta própria.

A represa de Nova Kakhovka fornece água para a península ucraniana da Crimeia e para resfriar a usina nuclear de Zaporizhzhia, ambas sob controle russo. O vasto reservatório atrás dela é uma das principais características geográficas do sul da Ucrânia, com 240 quilômetros (km) de comprimento e até 23 km de largura. Uma faixa de campo encontra-se na planície inundada.

A destruição da barragem cria um novo desastre humanitário no centro da zona de guerra e transforma as linhas de frente no momento em que a Ucrânia mobiliza uma contraofensiva, há muito esperada, para expulsar as tropas russas de seu território.

A Rússia controla a barragem desde o início da guerra, embora as forças ucranianas tenham recapturado o lado norte do rio no ano passado. Ambos os lados há muito tempo têm acusado um ao outro de planejar destruí-la.

“Terroristas russos. A destruição da barragem da usina hidrelétrica de Kakhovka apenas confirma para o mundo inteiro que eles precisam ser expulsos de todos os cantos da terra ucraniana”, escreveu o presidente Volodymyr Zelenskiy no aplicativo de mensagens Telegram.

Os russos “realizaram uma detonação interna das estruturas” da barragem. “Cerca de 80 assentamentos estão na área de inundação”, disse ele no Telegram.

Já o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse em uma coletiva de imprensa: “Podemos afirmar inequivocadamente que estamos falando de sabotagem deliberada pelo lado ucraniano.”

“Aparentemente, essa sabotagem também está relacionada ao fato de que, tendo iniciado ações ofensivas em larga escala há dois dias, agora as forças armadas ucranianas não estão atingindo seus objetivos, essas ações ofensivas estão falhando”, acrescentou.

Nenhum dos lados apresentou provas de quem seria o culpado.

O reservatório acima da represa fornece água potável para grandes extensões de terras agrícolas, incluindo a península da Crimeia, que a Rússia afirma ter anexado em 2014. Também fornece água de resfriamento para a maior usina nuclear da Europa, localizada em território controlado pela Rússia no sul.

O órgão de vigilância nuclear da Organização das Nações Unidas (ONU) disse no Twitter que está monitorando de perto a situação, mas que “não há risco imediato de segurança nuclear na usina”.

A corporação estatal russa de energia nuclear Rosatom também declarou que o rompimento da barragem não representa uma ameaça para a usina por enquanto e disse que a situação está sendo monitorada.

 

Fonte: Lidia Kelly e Ron Popeski – repórteres da Reuters – Kiev