Brasil estreia nas Eliminatórias com goleada contra a Bolívia

0
68

O Brasil não deu quaisquer chances para a Bolívia na noite desta sexta-feira (8). No Estádio do Mangueirão, em Belém, a equipe comandada por Fernando Diniz goleou a seleção rival pelo placar de 5 a 1 — o confronto foi válido pela primeira rodada das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2026.

A partida marcou a estreia de Fernando Diniz no comando da ‘Amarelinha’ e, também, o retorno de Neymar — que fez seu primeiro jogo pela Seleção desde a eliminação na Copa do Mundo de 2022 para a Croácia.

Rodrygo (duas vezes), Raphinha e o próprio Neymar (duas vezes) — que ultrapassou Pelé na artilharia histórica da Seleção, segundo os cálculos da Fifa — anotaram os gols dos mandantes. Ábrego descontou para os bolivianos.

O próximo compromisso do Brasil nas Eliminatórias será em Lima, contra o Peru, às 23h (de Brasília) da terça-feira (12). Por outro lado, a Bolívia encara a Argentina na altitude de La Paz no mesmo dia, mas às 17h.

O jogo — A primeira chance de perigo da partida foi logo aos dois minutos. Neymar arrancou pela intermediária e foi puxado pela defesa boliviana — falta assinada por Juan Gabriel Benítez. Na cobrança da infração, o próprio camisa 10 partiu para a cobrança e, com um chute rasteiro, acertou a rede pelo lado de fora.

Aos 10, novos gritos de ‘quase’ da pulsante torcida no Mangueirão: Neymar cobrou escanteio e Richarlison subiu mais do que a zaga para cabecear, mas Viscarra fez o ‘encaixe’ e defendeu. Três minutos depois, pênalti assinalado para o Brasil: Rodrygo tentou cruzamento dentro da área, Justino deslizou para o carrinho e a bola bateu no braço aberto do defensor.

Neymar foi para a cobrança e teve a chance, de acordo com os cálculos da Fifa, de superar Pelé e tornar-se o maior artilheiro da história da ‘Amarelinha’. No entanto, o camisa 10 bateu mal, rasteiro e sem força, e Viscarra encaixou a penalidade.

Ainda assim, o Brasil seguiu em cima da Bolívia. O resultado da pressão veio aos 23 minutos: Danilo enfiou lindo passe para Raphinha dentro da área e o jogador do Barcelona enfiou uma bomba cruzada, defendida pelo arqueiro boliviano. No rebote, entretanto, a bola sobrou limpa para o livre Rodrygo que, embaixo das traves, não teve nenhum trabalho para balançar as redes: 1 a 0.

No restante da etapa inicial, Raphinha finalizou firme aos 33, mas Viscarra defendeu; três minutos depois, Richarlison cabeceou no contra-pé do goleiro boliviano, que fez linda defesa; aos 40, Neymar realizou belíssima jogada individual desde a intermediária, deixou uma fila de defensores para trás e, cara a cara com o arqueiro, chutou fraco; nos acréscimos, tanto Rodrygo quanto Renan Lodi pararam em Viscarra.

Logo no segundo minuto de etapa final, o Brasil ampliou sua vantagem. Raphinha partiu para cima da marcação de Fernández, invadiu a área, cortou para dentro e chutou cruzado. Viscarra bem que tentou, mas não conseguiu espalmar: 2 a 0.

Pouco depois, Richarlison teve grande chance de fazer o terceiro. Raphinha recebeu em profundidade dentro da área e cabeceou para dentro, acionando o ‘Pombo’. O centroavante dominou bem e fez o corte mas, na hora de tirar a nota 10, isolou.

Quem não desperdiçou foi Rodrygo. Aos sete, Bruno Guimarães deu ótima assistência para o camisa 11, que apenas teve o trabalho de deslocar Viscarra e fazer o terceiro.

Aos 15, saiu o gol do recorde de Neymar. Raphinha não desistiu de jogada pela direita e lançou para a área. Rodrygo dominou e fez o drible em curto espaço, sendo derrubado pela zaga da Bolívia — antes que a penalidade pudesse ser marcada, Neymar aproveitou a sobra e balançou as redes. Na comemoração, socos no ar como Pelé fazia.

17 minutos após o tento de Neymar, a Bolívia conseguiu diminuir em seu primeiro chute ao gol de Ederson. Ábrego recebeu em profundidade, avançou com a bola e acertou finalização em cheio, sem chances para o arqueiro brasileiro: 4 a 1.

Deu tempo ainda de, nos acréscimos, o Brasil fazer mais um. Raphinha cruzou para a área e Neymar chegou batendo de primeira; Viscarra, em erro comum, deixou passar e não conseguiu encaixar a defesa.Gazeta Esportiva (foto: assessoria)