Projetos aprovados pela Secel levam oficinas e ações culturais a Tangará da Serra

0
342
Difusão da cultura indígena, capoeira e teatro são algumas das ações desenvolvidas neste mês de setembro em Tangará da Serra, por meio de projetos aprovados no Edital Viver Cultura, da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT). Ao todo, a seleção pública destinou R$ 10 milhões para impulsionar a cultura de Mato Grosso, com aprovação de 266 projetos.Um dos projetos é o intitulado “Povo Paresí: História e Vivências”, que busca apresentar a cultura indígena para estudantes de 10 escolas públicas do município, onde está localizada a Aldeia Formoso, da etnia Paresí.“Este projeto de difusão da cultura indígena dos Paresí abrange os costumes, história, culinária e canções tradicionais. As palestras presenciais irão proporcionar uma experiência única aos alunos, permitindo que a comunidade escolar mergulhe na riqueza cultural dos Paresí e conheça melhor a realidade dos povos indígenas”, explica o palestrante Yuri Mayson, da etnia Paresí.

A ação ocorre entre os dias 18 e 22 de setembro e é realizada com foco no povo Paresí, que vive em aldeias da região de Tangará da Serra, Campo Novo do Parecis e Sapezal.

Também contemplado no Edital Viver Cultura, o projeto “Capoeira para todos” consiste em oficinas para 120 alunos de três escolas públicas de Tangará da Serra. As aulas começaram no dia 04 de setembro e seguem até novembro.

A atividade é realizada pela Associação Cultural de Capoeira (Capuerê) e será conduzida pelos mestres Urubu e Paraná, com aulas semanas para estudantes a partir de nove anos de idade. Ao final, os estudantes irão participar de um evento de troca de cordões, simbolizando a experiência nessa prática cultural.

O espetáculo infantil “O Decreto” leva o teatro para dentro de escolas, instituições sociais e espaços públicos de Tangará da Serra até o dia 15 de setembro. A história narra a decisão do Rei Tolo, que emite um decreto de alegria proibindo a tristeza no seu reino e imagina que somente isso tem o poder de resolver o sofrimento do povo. A peça é encenada pelo Coletivo Cultural Cadela Manca, em apresentações gratuitas.

“O Viver Cultura é um dos editais mais abrangentes da Secel, fomenta o setor cultural em diferentes áreas, manifestações e linguagens artísticas. É gratificante ver os projetos sendo finalizados, propiciando mais acesso à cultura para a população”, destaca o titular da Secel, Jefferson Neves.

Ao todo, o Edital Viver Cultura selecionou 266 projetos de diferentes categorias, que englobam linguagens artísticas como música, teatro, dança, circo, artes visuais e artesanato. Além disso, contemplou práticas e vivências culturais, ações de formação, festivais, mostras, exposições e outros segmentos cultuais.

Fonte: Graciele Leite Secel-MT