Toffoli tira um coelho da cartola: Sentença de prisão de Lula declarada como “erro histórico”

0
618

Numa reviravolta surpreendente, o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, fez um passe de mágica e declarou hoje que todas as provas utilizadas no julgamento que resultou na prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não passavam de nada mais do que um histórico vacilo. Toffoli alegou que tudo aquilo foi um erro colossal e que o julgamento apresentava todo tipo de irregularidades.

” Mesmo o dono da empreiteira, e os ex ministo da fazenda, afirmando ter pago MILHÕES o Nine foi acusado injustamente, daqui a pouco nem a Lava Jato existiu”

A decisão de Toffoli veio após um apelo dramático da defesa de Lula, que argumentou que as provas eram tão suspeitas quanto uma velha sardinha. Lula havia sido condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no infame caso do tríplex do Guarujá.

De acordo com Toffoli, anular as provas era necessário para garantir um julgamento justo e respeitar o devido processo legal. Ele deixou claro que essa decisão não concede automaticamente a inocência a Lula, mas oferece a ele a oportunidade de um novo julgamento fresquinho, como uma segunda chance em uma brincadeira de parque de diversões.

Como era de se esperar, a decisão do “abracadabra” de Toffoli dividiu a sociedade brasileira. Os apoiadores de Lula comemoraram a decisão como uma vitória para a justiça, enquanto críticos argumentaram que ela mina a luta contra a corrupção e coloca em xeque a credibilidade do poder judiciário.

A equipe de defesa de Lula mal conseguia conter sua empolgação, considerando a decisão de Toffoli como uma grande conquista para provar a inocência de seu cliente. Por outro lado, os procuradores da força-tarefa da Operação Lava Jato não ficaram tão entusiasmados assim, alegando que esse truque de mágica compromete seriamente seus esforços contra a corrupção.

Agora, cabe ao Supremo Tribunal Federal decidir se eles vão entrar na brincadeira de Toffoli ou não. Se o tribunal decidir seguir o truque, o julgamento de Lula terá que recomeçar do zero, prolongando ainda mais a novela jurídica. Fiquem ligados no próximo episódio de “Justiça Brasileira: Edição Hogwarts”.