Projetos para inclusão e economia circular são vencedores do 2º Hackathon Desenvolvimento Sustentável da cooperativa Sicredi Ouro Verde MT

0
85
Foto: Assessoria

Projetos relacionados a diversidade, inclusão e equidade nas empresas e economia circular foram os vencedores do 2º Hackathon Desenvolvimento Sustentável, promovido pela cooperativa Sicredi Ouro Verde MT. O evento foi realizado em Cuiabá entre os dias 20 e 22 de outubro na Fatec Senai e reuniu cerca de 150 pessoas para uma maratona de 52 horas de trabalho para encontrar soluções sustentáveis para os desafios propostos.

Nesta edição, os participantes trabalharam guiados por seis desafios: Logística Reversa; Destinação de Resíduos; Diminuição de Carbono; Bem-estar dos times (Clima organizacional); Diversidade nas empresas; e Reconhecimento e valorização do público com mais de 50 anos no mercado de trabalho. As três melhores soluções foram premiadas com valor em dinheiro, sendo R$ 7 mil para o 1º lugar, R$ 5 mil para o 2º lugar, e R$ 3 mil para o 3° lugar, além de bolsa para o Programa Pré-Aceleração.

Com o auxílio de mentores especialistas em inovação, startups, ESG e empreendedorismo, os participantes também acompanharam palestras de personalidades nessa área, que contribuíram com o desenvolvimento das ideias. Integrante e líder da equipe vitoriosa, Felipe César Costa Alves, 33 anos, diz que a temática envolvendo seu projeto faz parte do dia a dia. O irmão é psicólogo, atua com pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA), e sabe a dificuldade dessas pessoas de serem acolhidas pelo mercado de trabalho. “Sabemos que são pessoas com grande capacidade e potencial, que podem ser profissionais incríveis. Começamos o projeto pensando na pessoa com TEA, depois mudamos e começamos a trabalhar no projeto para auxiliar as empresas a terem a iniciativa de contratar essas pessoas”, afirma.

Chamado de TEA Lab (Transtorno do Espectro Autista Laboratório), o projeto consiste em uma ferramenta destinada às empresas para receber pessoas autistas no quadro de colaboradores. A ferramenta traz informações gerais, orientações jurídicas, capacitação de funcionários, de Recursos Humanos, e orienta principalmente sobre a importância de se criar um ambiente adequado para receber esses profissionais. Além disso, o projeto prevê o desenvolvimento de um selo com as categorias ouro, prata e bronze, concedido às empresas que aderirem à iniciativa conforme o grau de adaptação na recepção a esse público. A ideia é que iniciativa seja abraçada por empresas com mais de 100 funcionários, que por lei, devem ter em seu quadro um percentual de pessoas com deficiência.

“Ainda estamos na fase de projeto. Temos que desenvolver melhor a ideia, os processos. Me sinto muito orgulhoso de ter o projeto premiado. É a minha contribuição com a comunidade, para melhorara a vida das pessoas”, afirma Felipe, que é formado em Rede de Computadores e atua como professor na área de inovação. 

Com o objetivo de promover o desenvolvimento das comunidades onde o Sicredi atua, o Hackathon Desenvolvimento Sustentável é uma iniciativa inovadora e vai além das ações filantrópicas e educacionais que a cooperativa desenvolve, incentivando a transformação social por meio da inovação e fomento a negócios sociais. O evento teve a co-realização da Digoreste Startups, além do apoio de parceiros estratégicos, como Fatec Senai, Inova MT, Agrihub, Senai e Sebrae Mato Grosso.

Em 2° lugar ficou o projeto Reconhecer 50+, para apoiar a inserção de pessoas com mais de 50 anos no mercado de trabalho, e o 3° lugar ficou com o projeto Cashoil, uma espécie de marketplace para coleta de óleo de cozinha em condomínios e entrega a fornecedores que reaproveitam o produto.

Para o diretor executivo da Sicredi Ouro Verde MT, Roberto Vargas, o objetivo do evento foi cumprido. E mais, fez com que muitas pessoas saíssem diferentes, transformadas e mais comprometidas com o desenvolvimento sustentável. “Tivemos a participação de 15 equipes que trouxeram soluções para as problemáticas apresentadas. Foram soluções fantásticas que realmente fazem sentido, projetos que têm importância no mercado e com potencial para ser escalado. Poderíamos premiar muito mais que três, com certeza”, avalia ao anunciar que mais edições do Hackathon serão realizadas.

“Esta edição superou as expectativas. Seja em número de participantes, de mentores e na grandiosidade dos projetos apresentados. O Hackathon foi a realização de um trabalho feito a muitas mãos, com a contribuição de vários colaboradores do Sicredi, de diferentes áreas, de mentores, palestrantes, e parceiros. O sentimento é de realização”, afirma William dos Santos, assessor de Desenvolvimento do Cooperativismo da Sicredi Ouro Verde MT. A gerente de Desenvolvimento do Cooperativismo, Katiuscy Rodrigues Arantes, complementa que o evento é uma forma de olhar para as necessidades do futuro agora e aproxima a cooperativa do público jovem, valorizando suas ideias, o seu jeito de pensar. “Uma oportunidade para trocar ideias para mudar o futuro e construir juntos uma sociedade mais próspera”, finaliza ela.