Dinheiro é a principal barreira para brasileiros adotarem práticas mais sustentáveis no dia a dia

0
35
Divulgação

Dinheiro é a principal barreira para brasileiros adotarem práticas mais sustentáveis no dia a dia.

Pesquisa realizada pelo instituto Akatu revelou que 57% dos brasileiros dizem que praticar a sustentabilidade no Brasil é “muito caro”. É um índice superior à média global, que é de 49%.

Ao todo, 31 países são mapeados pelo estudo.

Ao menos 4 em cada 10 consumidores brasileiros também apontaram como barreiras a falta de apoio do governo e das empresas.

Outro empecilho é a falta de informação: 28% dos ouvidos na pesquisa afirmam não saber como viver de uma maneira que seja boa para si, para outras pessoas e para o meio ambiente — quando consideradas apenas as pessoas nascidas a partir dos ano 2000, jovens da chamada Geração Z, o índice salta para 34%.

Para os responsáveis pela pesquisa, os resultados mostram que, além de ampliar a oferta e facilitar o acesso a produtos mais saudáveis e sustentáveis, como alimentos com menos agrotóxicos, produtos mais duráveis e com menos plásticos nas embalagens, é preciso empenho para aumentar a percepção dos benefícios da sustentabilidade para todos.

Isso porque, quando o consumidor tem mais acesso à informação e aos benefícios socioambientais embutidos no preço, ele tende a aceitar os custos mais altos e fazer melhores escolhas para si e para o meio ambiente.